Notícias

Ônibus da Seleção Brasileira na copa da Rússia sendo recebido por torcedores.

Torcida da seleção não lucra na Rússia e mira Copa América para se firmar

A torcida organizada da seleção brasileira surpreendeu. Com festas próprias, novas músicas e promoção de memes do Mundial, o Movimento Verde e Amarelo se destacou na Rússia e, agora, espera se consolidar na Copa América de 2019, no Brasil. O que já pode ser considerado um sucesso é a quebra de uma regra de torcedor brasileiro não ter uma ligação com seu time.

Com origem em jogos universitários, o grupo é formado majoritariamente por jovens da área de administração e com condições financeiras suficientes para bancar passagens, hotéis e ingressos. E cerveja. Muita cerveja.

Ao menos durante o Mundial, eles conseguiram pouco – ou nenhum – retorno financeiro pelos eventos. Há uma tímida venda de camisetas e a esperança de algo mais rentável a partir da próxima temporada, com a competição entre sul-americanos disputada em solo brasileiro, apesar de destacarem que o movimento é sem fins lucrativos. Em casa, terão melhores condições de organizarem eventos não só nas cidades que receberão os jogos, mas em diversos pontos do país, criando uma “fan fest” paralela.

Nas redes sociais, eles “bombaram”. Tiveram apoio de influenciadores como Fred, do Desimpedidos, e viram Thiaguinho cantar uma de suas músicas. Era nos seus canais virtuais que promoviam os encontros e divulgavam as suas ideias. Hoje, são mais de 90 mil seguidores.

Na Rússia, eles conseguiram organizar festas em todas as cidades em que a seleção passou, não só na recepção do time nos hotéis, mas também com esquentas para a reunião dos torcedores. No maior deles, nas quartas de final, os organizados entraram em contato com um hotel em um ponto turístico com direito a roda gigante, caixas de som e presença de memes da Copa.

Com a ajuda da CBF e de patrocinadores da seleção, promoveram a aparição do “psicopata do hexa”, russo que viralizou nas redes em jogo em Samara, pelas oitavas de final, e do Canarinho Pistola, outro sucesso do Mundial. A organização foi tão criteriosa que conseguiu até tonéis com gelo para gelar a cerveja, como manda a tradição brasileira. Na Rússia, foi comum ouvir reclamações de brasileiros por conta da temperatura da bebida.

No trajeto de quase 2 km, contou até com a escolta de agentes da Polícia Federal do Brasil, que estiveram no local durante todas as festividades. O resultado das festas foi a extinção do insosso grito “eu sou brasileiro com muito orgulho e muito amor” dos estádios e a diversificação dos cantos, com provocações, claro, aos argentinos, mas também a Cristiano Ronaldo e uma adaptação de provocação a cada rival. O grito mais cantado, no entanto, foi o que exaltava o destaque de cada uma das conquistas do Mundo pela seleção.

 

Fonte: https://www.bol.uol.com.br/copa-2018/noticias/2018/07/08/torcida-da-selecao-nao-lucra-na-russia-e-mira-copa-america-para-se-firmar.amp.htm

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email